Minimalismo

Porque abraçar o minimalismo.

tag-minimalismo

Há algum tempo atrás a netflix lançou um documentário chamado “The Minimalist” que, enquanto muitos amaram, outros detestaram.
O argumento que muitos ficaram contrariados foi o fato de pessoas alegarem a plena felicidade apenas quando se desfizeram de tudo ou com o fato de que quanto menos tiver coisas, mais felizes serão.

Não é bem assim. Não é que devemos vender tudo e vivermos em uma cabana ou em trailer, etc.
O minimalismo tem uma essência muito clara: Ter menos para experimentar mais, porque entende-se que temos muitas coisas. Temos excessos.

Este excesso não se restringe apenas ao que é material, mas você pode levar o minimalismo para todos os “cômodos” da sua vida: suas emoções, seus hábitos, seus relacionamentos, etc.

Abraçar o minimalismo é reter apenas aquilo que te fará bem. Não é apenas desfazer-se, mas é também nem agarrar.

Como receberemos o novo, as novas possibilidades que a vida nos coloca, se estamos agarrando o velho, o desnecessário?

O minimalismo pode te trazer um equilíbrio que há muito tempo você não experimenta. É possível você ter uma estante cheia de livros e ser minimalista, pois você sabe que têm exatamente aqueles livros que são importantes, que você vai reler ou que quer consultar. É possível ter “mais que 27 peças” no guarda-roupa e ser minimalista, porque você sabe que, de acordo com a sua rotina, sua vida social, etc,  você tem exatamente o que precisa. Nem mais, nem menos. Como também é possível que, com o tempo, perceba que está na hora de fazer uma limpa e passar para frente, mesmo que ainda goste muito de alguma coisa, mas para que esta “coisa” comece um novo ciclo na vida de alguém.

Equilíbrio é a chave. Ter o necessário. Não pensar no que vai mostrar, mas no que você vai enxergar e como vai se sentir. É andar no contra-fluxo e não consumir por imposição da mídia. É ver que não tem 12364478 amigos no seu facebook e ficar feliz pois tem apenas aqueles que se sente à vontade em compartilhar suas experiências.

Vale a pena abraçar o minimalismo. Abrace forte, tão forte que ele se torne parte de você, instintivamente e naturalmente.

Anúncios