Produtividade

Desacelere o ritmo e aumente sua produtividade.

Resultado de imagem para desacelerar

Engana-se quem pensa que ser produtivo é não ter tempo pra nada, correr de um lado para o outro, estar sempre ocupado e ter tantos compromissos que até esquece alguns.
Este é o perfil de uma pessoa desorganizada e perdida que em alguns dias ficará louca por perceber que não está dando conta.

Quando aprendemos a ser produtivos percebemos que não é apenas uma questão de quantas coisas fazemos no dia, mas que fazemos o que realmente precisa ser feito, com a melhor qualidade possível, com  o foco 100% naquela tarefa e não em dez ao mesmo tempo.

Ser produtivo requer desacelerar. Você já tentou acompanhar o cenário através de uma janela de um carro em movimento? Você só consegue ver o que está vindo, o que passou ficou perdido. É exatamente assim quando nos aceleramos: ficamos olhando para todas as coisas que precisamos fazer e ainda não foram feitas e nos perdemos daquelas que já foram iniciadas ou que seus prazos já passaram.

É verdade que cada um tem seu ritmo. Algumas pessoas conseguem fazer mais coisas que outras, até porque já foram conhecendo seu próprio estilo e sabendo como sua mente e seu corpo funcionam e já sabem o que dá certo ou não. Mas você precisa ter paciência porque é uma caminhada. Um passo por vez.

Dê uma olhada no número de tarefas e compromissos e avalie:

  • Todos fazem sentido? Ou são só um monte de coisa pra você se sentir importante?
  • Todos são de sua responsabilidade? Ou você poderia passar para outra pessoa ou simplesmente nem fazer.
  • Todos precisam ser feitos neste mesmo dia? Ou você poderia diluir em sua semana ou em seu mês?
  • Todos tem prazo? O prazo é uma boa forma de definir o que é mais importante e deve ser feito primeiro.

Espero que você desacelere. Este é o segredo para uma vida realmente produtiva.

Gosto do que o Christian Barbosa fala: “Vamos andando, porque  a gente já corre demais”.

 

Finanças Pessoais, Produtividade

Tempo não é dinheiro.

tempo-dinheiro-mito
Fonte

Você não leu errado!
Eu realmente escrevi que tempo NÃO é dinheiro.

Ao contrário do que nós falamos e ouvimos, descobri há poucas semanas que tempo não é dinheiro.
Participei de um workshop online com Christian Barbosa e Gustavo Cerbasi e o Gustavo disse esta frase que, na hora, não fez muito sentido. Agora, depois de analisar e também de pesquisar, percebi que realmente são coisas diferentes.

Se você faz um mau gasto ou um mau investimento do seu dinheiro, não consegue recuperar aquele valor em si, mas consegue trabalhar e correr atrás para recuperar o prejuízo.
Mas, se você gasta o seu tempo de forma errada, não há nada que você possa fazer. Perdeu aquele tempo e terá que gastar mais para conseguir fazer outras coisas.
Vai precisar tirar o tempo de outra tarefa, para fazer aquela que deveria ter sido sua prioridade.

Pensando assim, tempo é uma moeda, assim como o dinheiro, e quando somadas, dão um novo sentido à palavra riqueza.

Desperdiçar dinheiro não é só comprar itens supérfluos e desperdiçar tempo não é só aquelas horas na internet sem um propósito.

Desperdiçar dinheiro é quando você investe em coisas que sabe que vão dar errado ou que não é o que vai te fazer feliz. Desperdiçar tempo é quando você faz um curso errado, quando você fica tanto tempo no trabalho, que não dá atenção aos seus amigos e família.

O tempo e o dinheiro devem ser utilizados para colecionar boas experiências.
Como eu sempre falo pra vocês, tenham bons momentos para se lembrarem.
Usem com sabedoria todo o tempo que recebem nesta vida e todo o dinheiro que chega em suas mãos.
Mas, o mais importante: É possível ser feliz com menos dinheiro e mais tempo. Mas o contrário, já não posso afirmar.
O tempo nos possibilita aproveitar as pessoas e os momentos com mais intensidade, sem a necessidade de ter algo para oferecer. Já o dinheiro, estando tendo mais importância que a devida, pode nos tirar o foco.

Perceba que o tempo em si, já é um belo presente para oferecer.

Já havia pensando nisso?

Um abraço.