Produtividade

5 passos para avançar na sua carreira.

Resultado de imagem para subir na carreira mulher

Você se considera reconhecido no seu trabalho?
Sente que o que faz é importante e te faz feliz?
Enxerga importância na sua função?
Sente que o que você investiu em você está sendo recompensado através do seu salário e benefícios?
Pois é. Existem formas de alavancar na sua carreira e conseguir chegar onde você quer.

  1. Invista em você.
    Não adianta você querer que sua empresa te note, te reconheça, se não há o que ser notado ou reconhecido. Se você não tem um currículo que se destaque dos demais. Se você não investe na sua carreira, provavelmente a empresa não priorizará em investir em você também.
    Qual é a sua formação? Ensino médio? Nível superior? O que mais dá para você aprender?
    Será que existe uma pós graduação que pode completar com mais informações? Será que não existe um curso livre ou de extensão que você pode fazer para se atualizar no seu segmento?
    Guarde um dinheiro para isto. Pesquise bolsas ou descontos. Veja a possibilidade de cursos online que, geralmente, são mais baratos.
    Mas se você não vê importância em investir nos seu próprio crescimento através dos estudos, não espere que outros vejam.

2. Seja impecável.
Com certeza existem várias pessoas na sua própria empresa ou em outras que                   sabem fazer o que você faz. Alguns até com mais experiência que você, mas sabe o           que vai fazer a diferença? A FORMA como você faz o que faz.
Alguns já se cansaram e executam tudo no automático. Já não questionam e não                 pensam em inovações.
Faça o que você faz da melhor forma possível! Pense no que tem dado errado e                   sugira mudanças, não se canse de tentar melhorar, seja na rapidez, nos processos,             nos detalhes, etc. Vários fazem o que você faz, mas não COMO você faz. Então use             isto a seu favor. 😉

3. Aprenda um idioma
 Não importa qual seu segmento, não importa qual sua função, não importa se a                  empresa que você trabalha é multinacional ou não. Falar um novo idioma é uma                janela para outro mundo, outras possibilidades, outras oportunidades, outras                      formas de ver a vida.
Eu escrevi no linkedin, já faz um tempo, um post sobre isto e, realmente, convido                você a lê-lo para entender o que quero dizer, e quem sabe, te convencer a começar a          estudar hoje mesmo!

4. Participe de eventos na sua área.
Você já deve ter ouvido falar de network. É uma palavra usada para falar sobre sua            rede de conhecimentos. Pessoas que podem ser interessantes para trocar ideias e                aprender mais ou ter melhores oportunidades.
Entendam que não é algo relacionado a interesse. Você não vai querer conhecer as            pessoas para conseguir algo em troca. Pode ser pela amizade em si, pelo                                conhecimento, pelas coisas que aquela pessoa sabe e você não.
Quando estou falando de eventos não estou me referindo à nada chique. Pode ser os          eventos da sua faculdade ou, mesmo você que já se formou, sei que eles enviam                  convites para ex-alunos. Fora que, geralmente são DE GRAÇA! 😉
As pessoas ali estão dispostas a aprender, a conhecer pessoas novas, a falar sobre o            mesmo assunto que você está buscando. Que oportunidade, hein!!

      5. Trabalhe sua inteligência emocional.
O mercado está difícil para quem procura emprego, mas também está difícil para               quem está contratando. Acredite! Encontrar pessoas atualizadas, bem preparadas,             com a mente aberta não está tão fácil assim. Um currículo espetacular não substitui           uma pessoa equilibrada e que sabe lidar bem com suas emoções.
É preciso saber lidar com pessoas, com pressão e com suas próprias frustrações. Fiz           um vídeo a algum tempo atrás onde falo sobre isto de forma mais detalhada. Vale a           pena assistir. É só clicar aqui!

E aí? Qual ou quais você já está ok e qual ou quais ainda precisa colocar em prática?

Sucesso!

Produtividade

Porque você deveria dar um salto na sua carreira quando outros acham que é um erro.

Woman running through office, hurdling chairs

Se seu objetivo é encontrar um trabalho que realmente te motiva e te desafia, em algum momento você terá de implorar por confiança para enfrentar a convenção. Você terá de pensar menos em sua marca, status, e outras coisas que você pensa que deve fazer. Ao invés disso, você precisará focar em encontrar um emprego que se alinha com a pessoa que você quer se tornar.

A sabedoria convencional diz que nós devemos ficar com rebanho, ficar a salvo, proteger suas apostas. Mas como alguém já me pontuou quando eu tinha meus vinte anos, seguir a sabedoria convencional não leva à inspiração ou a oportunidades de crescimento. Não muda dramaticamente sua rede de contatos, expande sua base de conhecimento, ou permite que você descubra o que, unicamente, te energiza. O único modo de fazer isto é seguir um caminho diferente.

Havia dois pontos-chave em minha carreira quando eu fiz escolhas não convencionais. Cada uma mudou minha vida de maneiras importantes. A primeira veio quando eu estava acabando um trabalho de dois anos após a faculdade no Boston Consulting Group. Todos os meus colegas de trabalho seguiram para prestigiosos programas de MBA. Eu queria também, mas meu coração não, e três semanas antes, quando eu deveria voltar para a escola, recuei.

Eu decidi ao invés disto aceitar um emprego como gerente de uma empresa de arquitetura e design de mais ou menos vinte pessoas que focava em projetos corporativos elegantes. Muitas pessoas, especialmente meus pais, pensaram que eu estava louco. O que um engenheiro da Princeton com dois anos em consultoria de gestão de primeira linha em seu currículo estava em uma pequena firma de arquitetura? Onde isto poderia me levar?

Mas eu levei muitas lições importantes na empresa de arquitetura e design. Eu aprendi em tempo real sobre como um negócio funciona; a importância do fluxo de caixa, precificação e cobrança; e a centralidade da cultura e marca em se diferenciar em um competitivo mercado de trabalho. Eu também aprendi como contratar e demitir pessoas. Todos estes aprendizados inestimáveis provados em minha futura vida como decano em uma escola de negócios. Assim como o destino teria me cobrado, décadas depois eu seria responsável por duas escolas no exterior construindo projetos na universidade de Nova Iorque – Stern and Northwestern-Kellogg. Eu não poderia ter me preparado melhor!

Meu segundo movimento não convencional veio mais de uma década depois. Depois da empresa de arquitetura e design, voltei para a escola, fiz PhD e finquei minha primeira posição em faculdade na escola de negócios da Universidade de Chicago. Eu fiquei lá por nove anos quando surgiu uma oportunidade de trocar para NYU, e eu agarrei esta oportunidade. Muitos pensaram que era um erro. NYU não era considerada de prestígio ou com recursos. Mas para mim, me pareceu ser um ajuste cultural muito melhor. (Naquela época , Chicago estava cheio de economistas homens, havia pouquíssimas mulheres ou psicólogas, e era conhecida por sua cultura difícil).

No fim das contas eu estava certa. Me encaixei bem na NYU, tão bem que comecei a prosperar como professora. E fui notada pelo presidente da NYU , que se tornou uma dos meus mentores mais influentes e o patrocinador mais importante da minha carreira. Ele viu uma líder em mim antes mesma de eu ver.

Ajuda bastante usar relações de status grandes desde o início para lançar sua carreira. Eles te darão legitimidade e credibilidade. Mas para crescer e ser um líder de alto impacto, haverá um tempo em que você precisará fazer uma escolha entre a segurança do status e a possibilidade de um ajuste melhor e uma oportunidade única de crescimento.

Eu sou grata que aprendi a ouvir e a prestar atenção naquela ainda pequena voz dentro de mim – contrária às vozes ao meu redor – e aceitei aquelas oportunidades de trabalho novas e não convencionais. Em cada posição eu era levada a ser mais corajosa e criativa do que eu pensava que poderia ser.

https://www.linkedin.com/pulse/why-you-should-make-career-jump-when-others-think-its-sally-blount?trk=v-feed&lipi=urn%3Ali%3Apage%3Ad_flagship3_feed%3BhamnjDlvXvoRVJit6beZuQ%3D%3D

Produtividade, Reflexões

Você precisa fazer.

Resultado de imagem para agir tumblr

Já ouvi várias pessoas falando que não tiveram muitas oportunidades na vida, inclusive diminuíam outras que alcançaram seu sucesso por causa do favor de alguém.
Entendo que é frustrante saber que você é tão bom, ou  melhor, que alguém e descobrir que não foi o talento que garantiu a vaga ou a aprovação de algo ou alguém.
Porém tenho vivido situações muito incômodas ultimamente. Tenho visto pessoas que recebem “presentes”, que têm oportunidades legais ao seu alcance, mas não vão até elas.

Sabe aquela história do cara que pede ajuda de Deus para se livrar de um acidente de avião? Ele está no meio do nada, agarrado em uma corda, olha para cima e vê aquelas montanhas de gelo, o frio é grande e ele não quer nem olhar para o chão para não sentir vertigem. Daí Deus fala pra ele pular, e ele fica muito bravo. “Como assim é pra eu pular? Eu pedi ajuda e Deus já quer que eu morra?!”
Ele não pula e morre agarrado na corda… a alguns centímetros do chão.

Às vezes o “trabalho” para conseguir algo que se quer muito parece tão grande, ou tão chato, que não vale a pena. É melhor ficar agarrado na corda do comodismo, na corda da preguiça, na corda do coitadismo, do que se mexer só mais um pouquinho.

Não estou falando de situações hipotéticas, estou falando de pessoas reais. Pessoas que se recusam a agir porque pode ser cansativo ou porque é legal, mas não tão legal quanto continuar na mesma situação e depois culpar X ou Y por conta do seu fracasso; culpar os outros pelas coisas ruins que acontecem ou pelas coisas que simplesmente não acontecem.

Se quer um diploma, precisa estudar;
Se quer manter seu relacionamento, precisa aprender a abrir mão;
Se quer juntar dinheiro, precisa parar de gastar;
Se quer ser reconhecido, precisa fazer um bom trabalho;
Se quer uma promoção, precisa ser melhor que a média;
Se quer aprender mais, precisa separar tempo para estudar;

Enfim, eu poderia listar várias outras coisas e sei que você entende o que quero dizer.

Vamos começar a fazer mais! 😉

Reflexões

O fardo da carreira de sucesso.

Resultado de imagem para career burden

Quem é que nunca passou pela situação de encontrar alguém que não via há algum tempo e fez comentários a respeito do que a pessoa está fazendo?
Sabe, comentários do tipo: “Nossa! Encontrei fulana e ela está super bem! Está trabalhando em uma empresa super chique, nossa! Subiu na vida!”
Ou então: “Meu Deus! Desde que eu conhecia essa pessoa ela não queria nada da vida. Já é um adulto e nem tem uma carreira consolidada, deve ganhar super pouco, está fazendo ‘tal coisa’!”

Calma, você não está só. Estamos sempre comparando porque, no fundo, nos preocupamos com o que pensam sobre nós também. Sabemos que nos comparam e queremos impressionar. Quando falamos sobre nós acabamos floreando ou tornando maior do que é. Quem já não se pegou falando sobre sua profissão como se fosse o presidente da empresa? “Ai eu faço muita coisa! Sou responsável por isso e aquilo, etc”.

Ter uma carreira de sucesso acaba sendo um peso. Não depende só de nós, o mercado não ajuda e as pessoas ao redor também não.
Queremos ser bem sucedidos, buscamos as melhores oportunidades, estudamos, nos atualizamos e, no meio do caminho, descobrimos que fazemos tudo mais pelos outros do que por nós mesmos.

Ficamos tão preocupados com o que vão achar de nós e o que vão falar a nosso respeito que esquecemos de escolher por nós mesmos.
Escolhemos a faculdade porque nossos pais queriam ou porque nossos pais já tinham um comércio. Ou então decidimos nossa carreira baseada – apenas – na possibilidade de um salário robusto e o status que teremos falando que somos isso ou aquilo.

Esta pressão é terrível e se deixarmos que ela nos domine, em algum momento de nossas vidas, elas que decidirão por nós. Elas que determinarão nosso futuro, mas não serão elas que sofrerão nossas dores, por isso é preciso levar de forma mais leve, sem menosprezar sua importância.

Se você ainda não chegou onde quer não se culpe, mas não se renda. Não se torture, mas não desista. Não se envergonhe, mas não pare no tempo.
A vida continua acontecer apesar das escolhas que tomamos, então tome boas decisões, baseadas no que você quer e sem dar maior importância que o correto às opiniões e pressões alheias.

Sucesso!

Produtividade

7 hábitos que te ajudam instantaneamente a construir credibilidade no seu trabalho.

 

Podem haver momentos em que você sentiu que perdeu sua autoridade ou habilidade para liderar e se sentiu deprimido em relação ao seu futuro.Você pode ter “esticado” a verdade, pode ter sido despreparado ou persistido vez após vez no mesmo tópico ou sido grosso em uma reunião. Toda ajuda não foi perdida. Aqui estão sete jeitos de rapidamente retomar sua credibilidade?

  1. Vista-se apropriadamente
    Edith Head, designer ganhadora de prêmios disse, “Você pode ter tudo o que você quiser, se se vestir para isto”. Se você quer credibilidade e se veste para ela, você poderá tê-la. Isto significa vestir-se apropriadamente para o ambiente que você trabalha. Pegue pistas a partir do que seus gerentes ou líderes na sua empresa vestem. Se você se veste como o contexto, será mais fácil para pessoas te enxergarem dentro deste contexto.

2. Olhe para os outros.
Quando você falar, olhe para os outros. Não olhe para baixo ou sobre a cabeça das pessoas e para as paredes. Se você não olha para os olhos das pessoas, você perde a oportunidade de reconhecê-las e envolvê-las. Quando você olha dentro dos olhos das pessoas, você está fazendo mais do que conversar. Você está adicionando valor às pessoas ao seu redor.

3. Ouça e faça perguntas.
Mentes fechadas e pessoas egoístas dificilmente são mantidas em alta consideração. Os líderes escutam mais do que falam e não fingem saber todas as respostas. Líderes querem saber o que os outros pensam. Pergunte  “O que você acha?” ou “O que estou perdendo aqui?”. As pessoas querem ser ouvidas, e ouvir mostra respeito.
Ouvir te ajuda a barganhar. Mantenha conversas na barra lateral antes e depois de reuniões do grupo. Estas conversas individuais com colegas e companheiros de equipe são poderosas. É sua oportunidade de compartilhar suas ideias e, mais importante ainda, ouvir as ideias dos outros e seus feedbacks. Quando você faz o esforço de ouvi-los, as pessoas sentem-se ouvidas e você ganha confiança. Quanto mais as pessoas confiam em você, mais persuasivo você pode ser.

4. Conheça os fatos e fale os números.
Esteja preparado. Esteja no topo do seu trabalho. Quanto mais você sabe e entende, mais informado você pode ser para responder perguntas e tomar decisões inteligentes. Se envolve números, saiba os dados. Números ajudam a fazer ideias e conceitos concretos e demonstram sua experiência.

5. Diga a verdade.
É melhor admitir que você não sabe algo do que tentar esconder. Não minta. Isto mina sua credibilidade e dificulta para que outros confiem em você no futuro. Quando as pessoas perdem o respeito por você, você perde sua autoridade e a habilidade para liderar. Lembra do ditado “O que você não sabe não pode te machucar”? O que pode te ferir com mais facilidade está tentando esconder-se. Diga “Eu vou verificar e te retorno”, se você não sabe a resposta.

6. Tenha algo para vender.
Esteja sempre pronto para lançar uma ideia. Quando uma reunião fica paralisada, esta é sua oportunidade para apresentar uma ideia que pode mover seu time e sua organização para frente. Por exemplo, você está discutindo com sua equipe a respeito de um aplicativo de tecnologia que está em teste e não está ganhando força. Tenha uma ideia considerável em mente para compartilhar sobre como melhorar este aplicativo, quer seja conduzindo uma pesquisa detalhada do usuário ou uma possibilidade de parceria com outra empresa. Líderes são pensadores proativos e diretos. Aproveite esta oportunidade para levar as pessoas a olharem para você por direção.

7. Seja decisivo.
Não seja despreocupado. Use o que você sabe para tomar decisões informadas. Pare de tentar adiar decisões para outros. Se você está em uma posição de autoridade ou alguém te pede uma decisão, faça. Esta é sua oportunidade de demonstrar uma visão clara e direção.
Você tem controle sobre sua credibilidade. Tome vantagem do que você pode controlar, e coloque sua carreira de volta nos trilhos.

O que você faz para construir sua credibilidade?

Traduzido deste link: http://www.forbes.com/sites/averyblank/2017/02/21/7-habits-that-help-you-instantly-build-credibility-in-the-office/#25175e6413da

Produtividade

Foco no trabalho ou foco na carreira?

carreira-1
Fonte

Este ano de 2017 será marcado pra mim como o ano de decisões, e como você já deve ter visto lá no youtube, a minha palavra de ordem do ano é FOCO. Não é à toa que, em meio a tantas decisões, eu preciso saber exatamente o que quero para decidir sabiamente, rumo aos meus objetivos.

O que eu mais quero é ser feliz fazendo o que gosto  e levar uma vida financeira estável e confortável como uma das recompensas.
E para isto me questiono todo o tempo quão perto estou do que desejo pra minha vida profissional.

Numa destas horas em que parei para pensar me questionei o que acabou virando o tema deste post: Foco no trabalho ou foco na carreira?
Em uma das decisões que tenho que tomar, isto fez sentido pra mim.
Foi algo que uma colega de trabalho me falou algumas vezes, mas que eu não conseguia entender. De repente, a ficha caiu.

Às vezes ficamos tão inebriados pelas oportunidades incríveis que aparecem em nossas vidas que acabamos tirando os olhos do que realmente queremos fazer. Nem sempre o que você está fazendo É o que você quer, mas está relacionado ao plano maior.
Deu pra entender?

Focar no trabalho é manter seus olhos, seu esforço, seu tempo, suas energias exatamente na sua função, na sua profissão. Focar na carreira é ter o olhar macro, como se você estivesse olhando de cima e tivesse uma visão do todo. Não necessariamente sua função é a ideal ou satisfatória, mas é um passo para aquilo que realmente deseja.

Quando focamos no nosso trabalho corremos o risco de nos desmotivarmos, principalmente porque quando você chega ao máximo que poderia a tendência é se perguntar: “E agora? Vou fazer exatamente isto para o resto da minha vida?”
Para quem gosta de desafios, isto pode ser extremamente destruidor.

Quando focamos na carreira, sempre temos algo para aprender e passos parar dar.
Sabemos que por mais que estejamos em uma função limitada, podemos buscar novos desafios aprendendo mais ou até mesmo alçando vôos mais altos em outros lugares.

Foque no que é grande, no que é crescente, no que te dá mais oportunidades e no que vai te motivar a crescer: sua carreira.
Ainda que demitido sua carreira não acaba, apenas seu trabalho. Ainda que não receba o reconhecimento merecido sua carreira não fica escondida, apenas sua função. Ainda que não te olhem com o olhar que você gostaria, quem não te olha é seu gestor ou sua empresa (trabalho), mas o mercado (carreira) continua acontecendo e abrindo oportunidades.

Mantenha seu foco no que vale a pena e no que perdura!

Sucesso!

Mais, Produtividade

Por que livros são os melhores amigos dos grandes líderes.

1466397980
Fonte

Há muitas características associadas aos líderes. Gerenciamento, confiança, construção de equipe e por que não? Mas, a característica que nós esquecemos é que todos eles são bons leitores. Fale sobre qualquer um dos líderes inspiradores, seja do presente ou do passado, e você perceberá que todos eles têm o hábito da leitura.

De Winston Churchill a Steve Jobs, eles todos foram grandes leitores. De fato, Steve Jobs tinha um amor especial pelo poeta galês Dylan Thomas. Mas, o que é isto que faz ler uma atividade tão impactante para inspirar grandes líderes?

Ou, em outras palavras – por que você deveria inculcar este hábito se você quer tornar-se um grande líder? Bem, aqui estão algumas razões:

Ler, leva a aprender:
Uma das coisas que é comum entre todos os líderes poderosos é que eles nunca param de aprender. E, ler é um jeito ótimo de aprender coisas novas. De fato, você não consegue sempre gastar tempo fazendo aulas para aprender algo novo. Mas, você consegue sempre passar algumas horas, aqui e ali, para ler um livro sobre este tópico e aprender o básico.
Este é o porquê grandes líderes estão sempre encontrados imersos em livros sempre que eles têm tempo livre. Até porque, há uma razão porque eles dizem “Livros são sempre os melhores amigos de um homem”.

Ler inspira inovação:
Nós não conseguimos experienciar tudo na vida. Este é o porquê é imperativo aprender com outros. Grandes líderes tem esta tendência para com os livros porque eles os inspiram a aprender com as experiências de outros. Livros são um meio através do qual o escritor dá forma aos seus sonhos. Estes sonhos podem colocar os degraus de algo inovador, os quais são difíceis de pensar em um mundo ideal.
É onde as sementes da inovação são semeadas. E, este é o porquê de grandes líderes não deixarem a oportunidade de ler passar sempre que podem.

Ler traz novas perspectivas na sua forma de pensar:
Um bom líder tem de ser bom com pessoas, de outra forma ele não se tornará um bom líder. Livros ajudam bons líderes a tornarem-se grandes inculcando uma nova perspectiva no pensar. Quando você lê um livro, você está lendo como uma pessoa em particular pensa ou percebe uma situação em particular. E como ele/ela reagiria a isto.
De certa forma, isto te ajuda a quebrar o molde do seu pensamento pessoal. Isto traz uma nova perspectiva que te ajudará a atender porque uma pessoa reage ou se comporta , como ele/ela faz em uma situação.
E, isto pode ser de grande ajuda a um líder. Até porque, um bom líder colocar suas tropas para marchar de uma forma que todos se sintam importante.

Ler te leva para longe de tudo:
Em um mundo ideal, é impossível ir para longe de tudo. Mas, as vezes você precisa ir em direção àquele mundo de falácias para vier seus sonhos e inspirar sua criatividade.
Livros são o meio perfeito de alcançar isto. Livros podem ser o recurso perfeito para fazer uma pausa sem ter que nem sequer se mudar.
Além disto, o hábito da leitura também aumenta sua concentração. Você teria notado que aqueles leitores ávidos são geralmente encontrados perdidos neste mundo. Com uma concentração melhor você consegue eventualmente voltar ao trabalho com foco melhor, e alcançar mais.

Ler é o melhor desestressador.
Ninguém consegue negar o fato que ser líder é um trabalho estressante. Você precisa tomar decisões, trabalhar com várias pessoas e ter certeza de que tudo e todos estão em harmonia. Este estresse de gerenciar e lidar com tantas coisas podem levar a um pesado pedágio às pessoas. Mas, livros podem ser os melhores desestressores para alguém que está passando por esta situação. E, a melhor parte é que você pode também aprender coisas novas com qualquer livro que leia.Grandes líderes sempre se mantém acompanhados de bons livros para ler então no fim do dia eles conseguem se livrar de todos os estresses, lendo.

Estes são alguns dos hábitos que eu tenho gerenciado para adicionar ao meu repertório depois que comecei a ler mais. E, isto tem me ajudado a me tornar um líder melhor e um gerente melhor. Se você também quer se tornar melhor como líder, e uma pessoa em geral, então estas dicas podem de ser de grande ajuda. Tente e veja como elas funcionarão bem pra você!

Traduzido deste link: https://www.linkedin.com/pulse/why-books-best-friend-great-leaders-vartika-kashyap?trk=hp-feed-article-title-channel-add

Mais, Produtividade

Carreira: Currículo (Parte 2)

como-elaborar-bom-curriculo-noticias

Depois destes posts vocês não terão mais dúvida nenhuma a respeito de como fazer seu currículo.

As Dicas são super atuais e práticas. Nada de dicas superficiais.
Dá uma olhada neste link para relembrar ou para ler pela primeira vez o post, Currículo – Parte 1.

Vamos ao layout do seu e-mail:

Embora eu já tenha falado sobre a fonte mais adequada, é importante também saber como colocar as informações, afinal, a forma como você organiza sua ideias diz muito a seu respeito.
Se você não consegue nem dispor adequadamente suas informações em um papel, que dirá as informações do seu próprio trabalho!

  • Comece escrevendo seu nome em destaque, numa fonte diferenciada (16, talvez) e centralizada.
  • Logo após seu nome, coloque seus dados pessoais de contato, mas preste atenção: não é necessário escrever número de documentos. Caso seja necessário eles vão te pedir na entrevista ou na contratação.
  • Também não coloque pretensão salarial. Quando a empresa precisa saber esta informação, ela mesma entra em contato e pergunta. Mas o mais habitual é perguntar na entrevista. Eles falam o salário proposto e você pode decidir se aceita ou não.
    O risco de colocar o valor sem ser perguntado é que, se for muito longe do proposto, você fecha portas de uma oportunidade que poderia ser muito legal. E se você colocar muito menos, corre o risco de eles diminuírem a negociação, dependendo da empresa.
  • Também não coloque todas as dez mil empresas que já trabalhou. Filtre e deixe somente aquelas que tem a ver com sua vaga em questão ou que sejam importantes para seu currículo. De repente uma empresa confiável ou concorrida.
  • Não coloque referências. Antigamente isto era solicitado, mas hoje não precisa mais. Deixe apenas o nome da empresa e a posição.
  • Eu falei no post passado para não mentir, mas quero frisar algo muito importante que, como professora de inglês, morro ao descobrir: não minta sobre seu nível de inglês. É melhor não ser chamado para a vaga porque não tem o nível no idioma que a empresa precisa, do que cair em descrédito porque mentiu descaradamente e não conseguiu se desenvolver bem na entrevista.
  • Caso esteja ainda estudando, seja curso ou faculdade, coloque que ainda está em andamento. Não coloque que já concluiu mesmo que falte apenas 1 mês. Pode ser que para a vaga em questão seja necessário ter o diploma, então deixe a empresa decidir se será possível te contratar por conta deste detalhe.

E por último:

  • Não coloque foto. Não é mais necessário. Até porque, o que já vi de currículo com foto estilo “facebook”…meu Deus do céu.
    Lembre que seu currículo é um documento. Existe um padrão e uma “etiqueta de organização”.

Dê uma olhada no seu currículo e atualize de acordo com estas Dicas!

Se tiver mais dúvidas, é só perguntas pra mim, aqui nos comentários!

Boa sorte!
Um abraço

Produtividade

Carreira: Currículo (Parte 1)

como-elaborar-bom-curriculo-noticias
Fonte

Montar o currículo parece que é a fórmula da Coca Cola.
Todos queremos saber, mas quanto mais achamos que estamos perto, mais nos distanciamos.

Acredite em mim quando falo que não é um bicho de 7 cabeças.
Acabamos complicando porque nos confundimos: Colocamos o que gostaríamos que tivesse e não o que realmente tem.

Como você pode ver no título, eu vou dividir em partes.
Mesmo não sendo tão difícil, é preciso focar nos detalhes. Eles sim, vão fazer a diferença.

Vamos seguir às regras gerais do layout e quais informações devem ter, e no próximo post falo sobre erros que muitas pessoas cometem e o limite das informações colocadas, ok?

  • Não é necessário escrever no topo: CURRICULUM VITAE
    A pessoa responsável pela seleção já sabe que é um currículo, por isso esta informação torna-se desnecessária e ocupa o lugar de algo que poderia ser mais relevante.
  • Antes das suas informações pessoais também não é necessário escrever o tema da informação. Por exemplo: Nome: Joyce. Data de nascimento: 11/03/1986. E assim por diante.
    Coloque direto a informação:
    Joyce Parara Piriri. 11/03/1986.
    (Quanto à disposição das informações veremos em outro post, tá?!)
  • Na escolaridade coloque sempre sua última formação. Caso seu último grau de estudo foi o ensino médio, não precisa informar o ensino fundamental.
    Caso seja Graduação, não precisa informar o ensino médio.
    Só é necessário colocar os dois últimos se for uma pós graduação. Por exemplo: Letras – Universidade Nove de Julho. Pós Graduação em Gestão de Pessoas – Universidade Nove de Julho.
  • Não coloque informações irrelevantes à vaga que está concorrendo.
    Se você está se candidatando à vaga de auxiliar administrativo não faz sentido colocar sua experiência como pintor ou manicure. Também não precisa colocar seu curso de corte e costura ou seu curso de mecânica. Eles não são importantes? Claro que sim, mas não vão agregar neste caso e só vão poluir mais de informações.
  • Não passe de 2 páginas, não importa qual a função que está se inscrevendo e nem sua experiência. Se você usar a regrinha acima, sobre só colocar informações relevantes à função, já vai ajudar muito. Quanto às que realmente são importantes, escolha as mais recentes ou as mais importantes para seu perfil.

Agora anotem algumas informações extras:

  • Nunca, jamais, em tempo algum minta. Não importa se é para tornar seu currículo mais interessante ou se o objetivo é conseguir o trabalho. Mentiras de currículo são fáceis de serem descobertas e podem queimar seu filme. Às vezes eles nem vão te dizer que foi por isso, mas você pode deixar de ser contratado porque eles descobriram que você faltou com a verdade ou aumento um pouco.
  • Não encha linguiça. Não ache que quanto mais informações, mais interessante. Busque sempre a simplicidade e pense o quão importante é aquele dado. Diz respeito à vaga pretendida? Vai te ajudar a se destacar? É um diferencial?
  • Hoje em dia não é mais necessário colocar pontos fortes e suas características e diferenciais. Eles vão te perguntar na entrevista. Ensaie para este momento.
  • Use uma formatação simples, com fontes básicas. Destaque os pontos necessários com negrito. Já é o suficiente.
    Nada de itálico, sublinhado, cores, ou fontes divertidas. Arial e Times New Roman são o suficiente.
    (Vale ressaltar que vagas de profissionais que usam a criatividade – designers, publicitários, etc – tem um perfil completamente diferente neste quesito, ok? Se não for seu caso, siga as dicas de formação acima 😉 )

Na semana que vem postarei mais informações sobre currículo. Então se esta era uma dúvida sua, aproveite para se atualizar. Caso tenha perguntas relacionadas a este tema é só escrever aqui nos comentários!

Ah! Dá uma olhadinha na imagem abaixo:

blog

 

Neste novo layout do blog, você pode compartilhar e curtir as postagens. É só clicar no título da postagem para ler e no fim do texto verá estas opções. Que tal usar agora mesmo!?
Deixe que mais pessoas tenham acesso a estas Dicas! 😉

Toda Quarta- Feira tem post sobre Carreira aqui no Dica pra Hoje.
Um abraço.

 

Produtividade

Carreira: Tentando algo diferente

Flat style vector business man growth concept. Beyond Imaginatio
Fonte

No post passado eu escrevi sobre o que você deve fazer antes de procurar um emprego.
E foi voltado para quem ainda vai entrar no mercado de trabalho.

O engraçado é que esta etapa é tão importante, mas muitas pessoas acabam esquecendo e saem da faculdade achando que já podem entregar seus currículos para todas as empresas do mundo…quer dizer…poder até podem, mas se ler o post (clique aqui), vai perceber que não é bem assim que funciona. Existe uma fase intermediária.

Hoje, vou escrever para aqueles que querem voltar ao mercado de trabalho.
Seja porque estão desempregados ou para aqueles que ficaram um tempo sem trabalhar porque quiseram.

Esta fase não é fácil.
As empresas gostam de pessoas que estejam “quentinhas”, sabe?!
Já ouviu pessoas falarem que quando estão desempregadas não aparece nenhuma oportunidade e quando começam a trabalhar todo mundo resolve ligar?
Pois é…

Se você está um tempo desempregado, é lógico que a grana ficou um pouco mais curta, mas o ideal é que você continue fazendo cursos e se reciclando para não ficar desatualizado.
Mesmo sem grana, eu já dei várias dicas sobre cursos online gratuitos (veja aqui).
Algumas universidades  também trazem palestras super interessantes e abrem para o público.
Pesquise e vá!

Agora vale ressaltar uma coisa bem importante:
Só porque você está desempregado, não significa que vai aceitar qualquer migalha que te ofertarem. Quando digo isto, não é que você vai exigir até helicóptero, só porque sua empresa anterior oferecia. Não!
Mas que você pode continuar negociando salários e benefícios.

Os critérios serão mais leves? Sim.
Mas você não precisa dizer sim à primeira oportunidade porcaria que te aparecer.

Quando você for à uma entrevista, tenha em mente todos os benefícios e melhorias que trouxe às empresas que trabalhou e na hora de negociar valores, traga esses fatos à reunião.
Mostre que não é sua necessidade que pede um bom salário, mas sua competência.

Você vai trazer resultados bacanas e vai agregar à empresa! (Tenha esta convicção e vontade, por favor, hein!?)

O que tenho percebido é que realmente as empresas baixaram muito os salários.
Não sei se é tanto pela crise ou porque eles sabem que as pessoas estão precisando.
Mas se você ganhava R$2000,00 por exemplo, não espere o mesmo da próxima.
Esteja pronto para negociar, para abrir mão deste valor.
Mas não aceite também por R$800,00.

Veja o mercado, analise os lucros da empresa, pesquise sobre ela, pergunte para quem conhece e saiba se o que eles te oferecem é realmente o que podem oferecer.
Às vezes a empresa oferece menos porque tem gente que nem negocia, mas ela tem uma oferta melhor para quem demonstra mais interesse.

Outra dica super importante:
Não minta em seu currículo. Essas mentiras são fáceis de descobrir!

Nas próximas semanas falarei sobre currículo e comportamento em entrevista.
Peço que compartilhe estes posts nas redes sociais, para ajudarmos quem também está passando por esta situação e precisa de ajuda, ok? 😉

Toda quarta-feira tem post sobre Carreira! Aproveite!
Até mais!