Mais

O que você vai me dar?

Neste fim de semana que passou eu estava no ônibus e havia um casal com uma menina no colo e de repente comecei a reparar na conversa desta criança.
Eu não sei dizer a idade dela, mas acho que tinha uns 7, 8 anos.
Ela falava bem alto, não estava gritando ou brigando, mas não tinha como eu não prestar atenção.
O que me chamou mais atenção foi o assunto.
Ela estava comentando que o amiguinho da escola dela tinha um ipad e que ela deveria ter um também.
De repente, sei lá se deu um surto, ela começou a perguntar de forma insistente para o pai, o que ele daria para ela de presente: um ipad, um iphone ou um tablet.
A mãe respondeu que iphone é coisa de adulto e que ela poderia ter quando começasse a trabalhar (o que eu achei uma resposta incrível e consciente). O pai também falou que o menino talvez nem tivesse um, apenas falou que tem.
A menina, indignada, começou que nem um papagaio, a perguntar: “O que o senhor vai me dar?”O que o senhor vai me dar?”
Eu já não estava aguentando e fiquei bem irritada com a insistência, a pesar da ótima postura dos pais e cheguei a uma conclusão que ela não aprendeu em casa este tipo de “consumo”desesperado, mas o meio em que ela anda acaba influenciando.
Eu sei que, infelizmente, por mais que nos dediquemos a dar uma boa educação às nossas crianças, não estaremos todo o tempo com elas e nem saberemos o que elas escutam a todo instante.
Vejo que muitos pais se endividam porque acreditam que encher o filho de presente é sinal de que ele é amado ou então que precisa encher a criança de bens para que ela não se sinta diminuida na frente dos colegas. 
A verdade é que você precisa demonstrar amor nas suas atitudes e uma das melhores formas de demonstrar amor é ensinando a valorizar as pessoas, os sentimentos, os momentos com pessoas queridas e ensinando também a viver segundo sua realidade. Sem ostentar os mentir.
Pense que um dia seu filho sairá de casa e começará a trabalhar e talvez se sentirá frustrado se não puder comprar tudo o que vocês, pais, davam quando estava debaixo do mesmo teto.
As chances desta criança virar um adulto super consumista, endividado e infeliz são muito grandes e cabe a você evitar este triste fim.
Amor é atitude e não algo concreto.
Realização pessoal é ter o necessário e ser equilibrado em tudo.
Ensine o que realmente vale a pena, para que quando ele escutar outras coisas fora de casa fique firme na educação que recebeu!
Um abraço!
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s